Publicado em Lendo e Compartilhando

Amar é Chique!

“E parece, existe uma gente que conquistou a sua liberdade e tem coragem para mostrar-se. Revelar segredos. Melhor ainda, fofocar sobre si mesma. Esse mundo, o das pessoas que não têm medo de ser, é real e pertence a qualquer um que o queira. É só estender o braço e a felicidade de não fingir está bem ali. Somos a nova família, lutamos para sermos amados assim: loucos, estranhos, lindos e até mesmo chatos. Porque em meio aos que falseiam, somos os que querem simplesmente amar. E amar, bom… Amar é chique!.”

Fernanda Young

 


Fonte: http://papeletudo.com.br/blog/?p=5634

Publicado em Lendo e Compartilhando

Vai desistir?

* O General Douglas MacArthur foi recusado na Academia Militar de West Point, não uma vez, mas duas. Quando tentou pela terceira vez, foi aceito e marchou para os livros de história.

* O superstar do basquete, Michael Jordan, foi cortado do time de basquete da escola.

* Winston Churchill repetiu a sexta série. Veio a ser primeiro ministro da Inglaterra somente aos 62 anos de idade, depois de uma vida de perdas e recomeços.
Sua maior contribuição aconteceu quando já era um “cidadão idoso”.

* Albert Einstein não sabia falar até os 4 anos de idade e só aprendeu a ler aos 7.
Sua professora o qualificou como “mentalmente lerdo, não-sociável e sempre perdido em devaneios tolos”. Foi expulso da escola e não foi admitido na Escola Politécnica de Zurique.

* Em 1944, Emmeline Snively, diretora da agência de modelos Blue Book Modeling, disse à candidata Norman Jean Baker ( Marilyn Monroe) : “É melhor você fazer um curso de secretariado, ou arrumar um marido. “

* Ao recusar um grupo de rock inglês chamado The Beatles, um executivo da Decca Recording Company disse : “Não gostamos do som. Esses grupos de guitarra já eram.”

* Quando Alexander Graham Bell inventou o telefone, em 1876, não tocou o coração de financiadores com o aparelho. O Presidente Rutheford Hayes disse: “É uma invenção extraordinária, mas quem vai querer usar isso ?”

* Thomas Edison fez duas mil experiências para conseguir inventar a lâmpada. Um jovem repórter perguntou o que ele achava de tantos fracassos. Edison respondeu : “Não fracassei nenhuma vez. Inventei a lâmpada. Acontece que foi um processo de 2.000 passos.”

* Aos 46 anos, após anos de perda progressiva da audição, o compositor alemão Ludwig van Beethoven ficou completamente surdo. No entanto, compôs boa parte de sua obra, incluindo três sinfonias, em seus últimos anos.

Vai desistir?

Publicado em Fica a dica

Fica a dica – 02

Dizer o Amor

(Ana Jácomo)

Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro já sabe. Se sabe, maravilha, mas esse é um conhecimento que nunca está concluído. Pede inúmeras e ternas atualizações. Economizar amor é avareza. Coisa de quem funciona na frequência da escassez. De quem tem medo de gastar sentimento e lhe faltar depois. É terrível viver contando moedinhas de afeto. Há amor suficiente no universo. Pra todo mundo. Não perdemos quando damos: ganhamos junto. Quanto mais a gente faz o amor circular, mais amor a gente tem. Não é lorota. Basta sentir nas interações do dia-a-dia, esse nosso caderno de exercícios.

Se você ama, diga que ama. A gente pode sentir que é amado, mas sempre gosta de ouvir e ouvir e ouvir. É música de qualidade. Tão melodiosa, que muitas vezes, mesmo sem conseguir externar, sentimos uma vontade imensa de pedir: diz de novo? Dizer não dói, não arranca pedaço, requer poucas palavras e pode caber no intervalo entre uma inspiração e outra, sem brecha para se encontrar esconderijo na justificativa de falta de tempo. Sim, dizer, em alguns casos, pode exigir entendimentos prévios com o orgulho, com a bobagem do só-digo-se-o-outro-disser, com a coragem de dissolver uma camada e outra dessas defesas que a gente cria ao longo do caminho e quando percebe mais parecem uma muralha. Essas coisas que, no fim das contas, só servem para nos afastar da vida. De nós mesmos. Do amor.

Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá.

Publicado em Música da Vez

Música da Vez – 01

Umbigobunker!? – Jay Vaquer


O pretérito mais que imperfeito

Não leva em conta os meus planos pra seguir
Deita e bordo a torto e a direito
Meus cumprimentos pra quem não desistir
Hora dessas encontro um jeito
De ficar livre de tanto mal
Se alimenta em cada defeito
Um tempo inútil contemplando o próprio umbigo
Funcionando feito um bunker
Bem no meio desse campo de batalha
Entre aparentar alguém melhor
Ou simplesmente ser o que se pode ser
Simplesmente ser o que se pode ser
Com as fraturas expostas
Dispostas a nos expor
Fraturas expostas
Dispostas a nos expor
O pretérito mais-que-imperfeito
Não leva em conta os meus planos pra seguir

Publicado em Pronto, falei!

Pronto, falei! – 01

Melhor saber disso do que do tiroteio no Complexo do Alemão.

Pronto, falei!

Professores de escola líder no ranking do Saerjinho ‘vestem a camisa’

Maria Celeste Paiva do Vale, diretora do Ciep Governador Leonel de Moura Brizola Foto: Carolina Heringer

Há 14 anos à frente do Ciep Governador Leonel de Moura Brizola, em Niterói, a diretora Maria Celeste Paiva do Vale, de 49 anos, exibiu um largo sorriso ao receber a notícia de que a unidade deixou para trás outras 1.255 escolas estaduais. O Ciep foi o primeiro colocado, com 86% de acertos, no Saerjinho, o sistema de avaliação da educação do Estado do Rio, que, bimestralmente, analisa o ensino de Português e Matemática.

O resultado, garante a diretora, é fruto de um trabalho diferenciado, principalmente dos professores da unidade:

— Eles vestem a camisa e digo que temos vários diretores, porque eles participam de tudo. Eu me orgulho da minha equipe — conta.

Como exemplo, Maria Celeste cita um dos projetos criados pelo seu time. Todo ano, é escolhido um tema principal e quatro subtemas — um por bimestre — para serem estudados. Neste ano, o estado do Rio é o principal, e os subtemas são: as diferenças, meio ambiente, cultura e violência.

— Conciliamos o conteúdo com o programa da secretaria. É uma forma de ensinar de outra maneira, tornando o conteúdo mais atrativo. O aprendizado rende muito mais — atesta a diretora.

Melhores no interior

A boa colocação do Ciep Governador Leonel de Moura Brizola indica uma tendência no estado: escolas fora da capital têm apresentado melhor desempenho. Das 20 melhores colocadas no Saerjinho, apenas uma fica na capital, o Centro Educacional Candeia, no Galeão, Ilha do Governador.

O secretário estadual de educação, Wilson Risolia, atribui o resultado ao empenho dos profissionais, além da relação ainda próxima entre professores, alunos e seus familiares nessas regiões.

— A receita é simples: compromisso, desempenho e dedicação. As pessoas fazem diferença sempre. As escolas que se colocaram bem têm algo em comum: um compromisso muito forte da comunidade escolar — garante.

Das 1.255 escolas do estado avaliadas, 34% tiveram evolução em Português em relação ao 1 bimestre. Em Matemática, 33% tiveram melhora. Foram 360 mil alunos avaliados, de 5 e 9 anos do ensino fundamental e das três séries do ensino médio.”

Fonte: http://extra.globo.com/noticias/rio/professores-de-escola-lider-no-ranking-do-saerjinho-vestem-camisa-2593229.html

 

Publicado em Diário

Amor com gostinho de Rivotril

Depois de uma sequência de  3 noites com pesadelos, e um final pior que qualquer filme de Hitchcock,  pedi uma oração. E mesmo  no celular com o ônibus barulhento, a oração me foi dada… E adivinha… Dormi 8 horas seguidas, sem nenhum pesadelo…

Quem precisa de Rivotril quando se tem amor?!