Publicado em Diário, Música da Vez

Música da Vez – 04

Racismo é Burrice

Salve, meus irmãos africanos e lusitanos, do outro lado do oceano
“O Atlântico é pequeno pra nos separar, porque o sangue é mais forte que a água do mar”
Racismo, preconceito e discriminação em geral;
É uma burrice coletiva sem explicação
Afinal, que justificativa você me dá para um povo que precisa de união
Mas demonstra claramente
Infelizmente
Preconceitos mil
De naturezas diferentes
Mostrando que essa gente
Essa gente do Brasil é muito burra
E não enxerga um palmo à sua frente
Porque se fosse inteligente esse povo já teria agido de forma mais consciente
Eliminando da mente todo o preconceito
E não agindo com a burrice estampada no peito
A “elite” que devia dar um bom exemplo
É a primeira a demonstrar esse tipo de sentimento
Num complexo de superioridade infantil
Ou justificando um sistema de relação servil
E o povão vai como um bundão na onda do racismo e da discriminação
Não tem a união e não vê a solução da questão
Que por incrível que pareça está em nossas mãos
Só precisamos de uma reformulação geral
Uma espécie de lavagem cerebral

Racismo é burrice

Não seja um imbecil
Não seja um ignorante
Não se importe com a origem ou a cor do seu semelhante
O quê que importa se ele é nordestino e você não?
O quê que importa se ele é preto e você é branco
Aliás, branco no Brasil é difícil, porque no Brasil somos todos mestiços
Se você discorda, então olhe para trás
Olhe a nossa história
Os nossos ancestrais
O Brasil colonial não era igual a Portugal
A raiz do meu país era multirracial
Tinha índio, branco, amarelo, preto
Nascemos da mistura, então por que o preconceito?
Barrigas cresceram
O tempo passou
Nasceram os brasileiros, cada um com a sua cor
Uns com a pele clara, outros mais escura
Mas todos viemos da mesma mistura
Então presta atenção nessa sua babaquice
Pois como eu já disse racismo é burrice
Dê a ignorância um ponto final:
Faça uma lavagem cerebral

Racismo é burrice

Negro e nordestino constróem seu chão
Trabalhador da construção civil conhecido como peão
No Brasil, o mesmo negro que constrói o seu apartamento ou o que lava o chão de uma delegacia
É revistado e humilhado por um guarda nojento
Que ainda recebe o salário e o pão de cada dia graças ao negro, ao nordestino e a todos nós
Pagamos homens que pensam que ser humilhado não dói
O preconceito é uma coisa sem sentido
Tire a burrice do peito e me dê ouvidos
Me responda se você discriminaria
O Juiz Lalau ou o PC Farias
Não, você não faria isso não
Você aprendeu que preto é ladrão
Muitos negros roubam, mas muitos são roubados
E cuidado com esse branco aí parado do seu lado
Porque se ele passa fome
Sabe como é:
Ele rouba e mata um homem
Seja você ou seja o Pelé
Você e o Pelé morreriam igual
Então que morra o preconceito e viva a união racial
Quero ver essa música você aprender e fazer
A lavagem cerebral

Racismo é burrice

O racismo é burrice mas o mais burro não é o racista
É o que pensa que o racismo não existe
O pior cego é o que não quer ver
E o racismo está dentro de você
Porque o racista na verdade é um tremendo babaca
Que assimila os preconceitos porque tem cabeça fraca
E desde sempre não pára pra pensar
Nos conceitos que a sociedade insiste em lhe ensinar
E de pai pra filho o racismo passa
Em forma de piadas que teriam bem mais graça
Se não fossem o retrato da nossa ignorância
Transmitindo a discriminação desde a infância
E o que as crianças aprendem brincando
É nada mais nada menos do que a estupidez se propagando
Nenhum tipo de racismo – eu digo nenhum tipo de racismo – se justifica
Ninguém explica
Precisamos da lavagem cerebral pra acabar com esse lixo que é uma herança cultural
Todo mundo que é racista não sabe a razão
Então eu digo meu irmão
Seja do povão ou da “elite”
Não participe
Pois como eu já disse racismo é burrice
Como eu já disse racismo é burrice

Racismo é burrice

E se você é mais um burro, não me leve a mal
É hora de fazer uma lavagem cerebral
Mas isso é compromisso seu
Eu nem vou me meter
Quem vai lavar a sua mente não sou eu
É você.

Publicado em Escrevendo, Fica a dica, Lendo e Escrevendo, Pensando e Escrevendo, Vendo e Escrevendo

Cuidado com a gota d’água!

Está rolando um vídeo na internet com atores globais, falando sobre planejamento energético. Eles poderiam ter ganho uma assinatura minha se eu não tivesse visto o vídeo. Porque não me ganharam?

1º Nunca acredito em nada do que a globo se envolve.
Igor, um amigaço meu de anos, é engenheiro civil e trabalha no CEPEL. (para quem não sabe, CEPEL faz parte do grupo da Eletrobras)

Eu que não sou boba nem nada, fui pedir ajuda ao Igor. Mandei um email falando do vídeo e perguntado sua opinião. Ele no dia seguinte postou no mural dele do Facebook:

Artista global com consciência ecologica devia era colocar painel solar em suas casas e consumir menos energia, gerar menos lixo… e estudar um pouco mais: não se pode ter uma matriz energética baseada em energia eólica! 
Agora se uma boa parte do investimento será imposto, isto é uma outra discussão #prontofalei

Depois ele me mandou um link de um artigo que saiu no Aguafluxus, uma empresa especializada em desenvolver projetos de drenagem sustentável. Eu, se fosse você daria uma lida nesse artigo: http://aquafluxus.com.br/?p=615.

Vocês sabiam que esse movimento pede dinheiro? Pois é. Vai lá no site desse movimento e olha direito. Clica em Blog. Em um dos posts eles dizem que você pode contribuir de forma rápida e segura para com o movimento. E sabe o que é pior? Já arrecadaram quase 8 mil reais.

Tenho duas dicas:

1- Nunca, mas nunca acredite em nada do que tem a Globo envolvida.
2- Pesquise antes de colocar o seu nome em qualquer movimento.

Como diz o William Bonner,

Boa noite!

Publicado em Pensando e Escrevendo

A primeira impressão não é a que fica!

Você nunca terá uma segunda chance para causar uma boa primeira impressão.

Nunca terá mesmo! A primeira, é apenas uma. Mas não vai ser ela que vai ditar quem é e quem não é você.

Quando se conhece alguém, o nosso olhar para a pessoa é em parte uma transferência nossa. A imagem que retorna para o outro já vai distorcida, já que o outro coloca um pouco dele mesmo na imagem que vai para ele. E só o tempo vai mostrar tanto a nós quanto ao outro, uma imagem mais clara e sem tantos pedaços nossos que se juntam ao outro. Mas sempre, sempre mesmo, a imagem que vem não é 100% apenas o outro. Poucas pessoas, digo, pouquíssimas pessoas conseguem ver o reflexo totalmente limpo.

Diante disso, fica bem difícil valorizar na gente o que o outro não valoriza. Difícil perceber que na maioria das vezes, o outro só valoriza em nós o que já faz parte dele, ou mesmo que ainda não tenha, mas deseja. Então, quando o outro não valoriza algo em nós, é porque aquilo não tem importância para ele.

O importante é agir não de acordo com o que esperam da gente, mas de acordo com o que esperamos de nós mesmos.

(Escrevi esse texto a 2 anos atras)

Publicado em Compartilhando, Escrevendo, Lendo e Compartilhando, Lendo e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Tá doendo?!? Então, solta!!


6 horas da manhã de uma segunda-feira, e eu quase choro com artigo que li da Rosana Braga.

Vocês devem estar se perguntando ‘ O que ela faz acordada tão cedo?!’. Eu sempre acordo cedo. Raro o dia que acordo depois de 7 da manhã.

Bom, li e compartilho. Vou reler ele mais algumas vezes, porque em mim esta doendo e difícil de soltar…

 

 

 Tá doendo?!? Então, solta!!

Por Rosana Braga

Sabe quando você vive uma situação difícil, angustiante e que te incomoda? Quando você não sabe o que dizer, o que fazer ou como agir para que a dor passe ou ao menos diminua?
Pois vou te contar o que tenho descoberto, por experiência própria! Em primeiro lugar, observe a situação toda e, sobretudo, observe a si mesmo e os seus comportamentos.

Errou? Tente consertar e, de qualquer modo, peça desculpas!
Fez ou falou o que não devia? Explique-se, seja sincero, não tente esconder seu engano ou fingir que nada aconteceu… Valide a dor do outro, sempre.

Ta difícil conseguir uma nova chance? Dê um tempo. Espere… Às vezes, algumas noites bem dormidas e alguns dias sem a imposição de sua presença ou a insistência de suas tentativas são preponderantes para que os sentimentos bons sejam resgatados e para que um coração possa ser reconquistado.

Por fim, fez tudo isso e não deu certo? Não rolou? A pessoa até te perdoou, mas a massa desandou, a história se perdeu, os desejos esfriaram?!?

Você se sente inconformado, esmagado pelo arrependimento, atordoado pela tristeza do que poderia ter sido e não foi? Tem a sensação de que estragou tudo? Não sabe mais o que fazer para parar de doer? Acredite, só tem um jeito: solta!

A dor é conseqüência de um apego inútil! Deixa ir… Deixa rolar… Se você já fez o que podia fazer, tentou e não deu, confie na vida, confie no Universo e siga em frente. Pare de se lamentar, pare de se debater e de se perder cada vez mais, e tenha a certeza absoluta de que o que tiver de ser, será!

Quando essa certeza chega, é impressionante: a gente simplesmente relaxa e solta! E quando solta, a dor começa a diminuir, e a gente começa a compreender que está tudo certo, mesmo quando não temos a menor idéia de que “certo” é esse. Mas quando menos esperamos, tudo fica absolutamente claro!

Não se trata de desistir, mas de confiar! Isso é o que se chama “FÉ”! Isso é o que desejo a mim e a você, quando estivermos doendo…