Publicado em Compartilhando, Diário, Escrevendo, Lendo e Compartilhando, Lendo e Escrevendo, Ouvindo e Compartilhando, Ouvindo e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Eu pensei correr de mim, mas aonde eu ia eu tava

Em uma página de humor do Facebook, vi a frase “Eu pensei correr de mim, mas aonde eu ia eu tava.”. Fiquei tão impressionada com a intensidade filosófica da frase, que fui buscar no Google de onde ela veio. Descobri que a frase faz parte de uma música/poema de Juraildes da Cruz, um cantor/compositor de Tocantins. Sem dúvida uma das músicas mais extraordinárias que já li.

Eu pensei correr de mim
Mas aonde eu ia eu tava

Quanto mais eu corria
Mais pra perto eu chegava

Quando o calcanhar chegava
O dedão do pé já tinha ido
Escondendo eu me achava
E me achava escondido
Só sei que quando penso que sei
Já não sei quem sou
Já enjoei de me achar no lugar
Que aonde eu vou eu tô

Eu pensei correr de mim…

Tô pensando tirar férias de mim
Mas eu também quero ir
Só vou se minha sombra não for
Se ela for eu fico aqui
Um dia desses sonhando
Eu pensei: não vou me acordar
Vou me deixar dormindo
E levanto pra comemorá

Eu pensei correr de mim…

O espelho me disse
Só tem um jeito pro assunto
Não adianta querer morrer
Porque se morrer vai junto
Se correr o bicho pega
Mas se limpar o bicho some
Tem que desembaraçar
O novelo da vida do homem

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s