Publicado em Escrevendo, Pensando e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Contemplação da Insensibilidade Humana

largeEstamos vivenciando e contemplando  a falta da sensibilidade humana.
Cada dia mais chegamos mais perto do que fomos um dia, desevoluindo tudo que foi aprendido com o passar dos bilhões de anos que a
qui estamos.

A evolução nos trouxe direto ao que mais faz diferença entre nós para com qualquer outro animal: nós podemos amar. Amor é diretamente humano, o resto é um pedaço de sentimento que os outros mamíferos o tem. Mas ainda assim, da forma como estamos indo, eles estão nos alcançando. Eles caminham para frente enquanto nós estamos andando para trás. Eis o motivo pelo qual está cada vez mais fácil amarmos cachorros do que seres humanos.

Estamos voltando a sermos seres instintivos, algo que já ficou no passado há muitos anos. Porém, cada dia mais estamos nos esquecendo disso e nos tornando dinossauros contemporâneos.

Publicado em Escrevendo, Pensando e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Café Frio

café 2Aquela xícara de café quente já não é mais a mesma. Aquela doçura e calor se foram. Agora, o que ficou foi apenas aquele gosto frio e amargo.

Mas ela não queria café. Ela nem sabe porque pediu café. Ela pediu café? Ah! Ofereceram café e ela disse sim.
Mas ela nem gosta muito de café.

Passou um tempo sem voltar naquele lugar. Achou que a culpa do gosto frio e amargo incensante na boca era culpa do lugar, e não dela.
Depois de um tempo, sem se dar conta, ela retorna. Só percebeu no final quando, de novo, lhe ofereceram café.
Mas dessa vez ela negou. Pediu a conta e um pedaço da torna mousse de chocolate meio amargo.
Mas pediu para viagem (ela quer comer aos poucos).

Publicado em Diário, Escrevendo, Pensando e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Vamos falar de amor?

aviao amor
Eu realmente prefiro falar de amor.

Mas aí você me diz que amor não paga as contas.
Claro que paga! Amor além de pagar suas contas, te faz ser uma pessoa muito mais leve e feliz.
Duvida?

Quem trabalha com o que ama é muito bom no que faz, simplesmente porque se empenha mais e se diverte com aquilo. Ao se divertir com aquilo, sempre tem entusiasmo para fazer melhor. A vontade de superação  não é direcionada ao outro, e sim a si mesmo.

Quem não gosta do que faz pode sim ter muito dinheiro. Acontece. Acontece muito.
Mas nunca aquele dinheiro será o suficiente. A ganância é o buraco negro interno de não fazermos o que gostamos. Tapar esse buraco é impossível, mas a maioria nem faz ideia de que esse buraco negro existe e é o maior sugador de felicidade. 

Somos seres infelizes, acreditando em mitos e promessas de um mundo melhor. 

Você pode argumentar dizendo que o mundo não é um conto de fadas. Eu contro-argumento dizendo o mundo é muito mais um conto de fadas do que você imagina. O problema é que você só está olhando para o “Felizes Para Sempre”. Nem se liga que antes da princesa “viver feliz para sempre” muita gente morreu, ela quase foi assassinada inúmeras vezes, era perseguida por pessoas com ódio no coração, teve que lutar pela vida e só no final, e apenas nele, ela consegue o que deseja. Isso porque o amor (sim, ele) é uma energia muito forte, maior que qualquer outra.
Contos de fadas são sim uma metáfora direta da vida. 

Muito romântico para você? É que se fala muito pouco de amor. Estamos acostumados a falar mais sobre guerras. Amor hoje em dia é quase um tabu. Virou mito. Está preso nos livros.

Soltem o amor! 

Essa passeata sim eu iria. Bora pra rua, pela liberdade do amor que tanto falta no mundo!

Publicado em Escrevendo, Pensando e Escrevendo, Sentindo e Escrevendo

Aonde Estou?!

66738_364703053656947_2094616291_n

Nunca me perdi de mim mesma. De fato, eu nunca existi.

A verdadeira sensação é a de ser vampira: nem viva, nem morta e sem nenhum reflexo.

Me olho no espelho e não me reconheço.
Nem poderia! Eu não estou lá.  Não sou eu naquele reflexo.

Mas se não sou eu naquele reflexo, aonde eu estou?!